A raposa e as uvas

Coluna de Ricardo Rodrigues originalmente publicada no site do Jornal Hoje em Dia.


Certo dia uma raposa deparou-se com uma parreira carregada de uvas maduras e imediatamente cobiçou-as. Começou a fazer tentativas para colhê-las; porém, como estavam altas e a subida era íngreme, por mais que tentasse, não as conseguiu alcançar. Então disse: - ‘Estas uvas estão azedas e podem manchar-me os dentes; não quero colhê-las verdes, pois não gosto delas assim’. E, dito isto, foi-se embora.

Comecei o artigo de hoje com essa famosa fábula pois acredito que ela reflete bastante algumas posturas que venho observando no mercado neste momento de crise. Vamos aos fatos concretos: o fechamento do comércio não essencial em Belo Horizonte é realidade inquestionável e a recessão, obviamente, bate na porta de todos, sejam estes donos de empresas ou trabalhadores. Entretanto, você pode escolher como enfrentá-la, ou seja, vai simplesmente chorar, achar que a uva é impossível de ser colhida e desistir ou buscar novas formas de colhê-la?

Vou citar alguns exemplos práticos para tornar a questão mais didática: sabemos bem que as vendas com delivery, nem de longe, se comparam ao faturamento dos bares e restaurantes quando estão abertos. A estimativa da ABRASEL-MG é de que o sistema de entregas à domicílio é responsável por apenas 20% da receita do setor na comparação com um dia de funcionamento normal, sem fechamento. É aí que entra a criatividade. Pensar em soluções atrativas que não pesem o seu bolso mas que despertem o interesse da clientela, afinal as pessoas gostam do que é diferente, pode trazer bons resultados e transformar os seus 20% em 100.

Sei que o conselho pode parecer clichê, mas, de fato, é preciso pensar fora da caixa. É este comportamento que diferencia as raposas que desistem de colher as uvas daquelas que insistem até conseguirem saboreá-las.

E mesmo que você não saiba por onde e como começar, mesmo que ache o seu negócio pequeno demais, não tenha medo de apostar. De repente a boa ideia da qual tanto precisa pode estar na mente daquele funcionário de confiança. Por isso é bom, sempre que possível, ouvir a equipe que está contigo diariamente na lida e nos desafios diários.

Cerque-se de profissionais que neste momento vão fazer a diferença e trazer os resultados esperados. Tenha, por exemplo, um bom contador, capaz de te dar o panorama completo e fidedigno da real situação de sua empresa, além de um advogado atento e atualizado a qualquer questão trabalhista.

Ainda assim, não se culpe se mesmo com todo o preparo e respaldo, você chegar à conclusão de que a uva, de fato, está verde, amarga e é impossível de ser colhida. O importante é chegar a essa resposta depois de tentar. E lembre-se sempre: além da uva existem tantos outros tipos de frutas que podem estar bem mais saborosas e convidativas. Tudo na vida é uma questão de percepção e vontade.

Ricardo Rodrigues – Conselheiro Consultivo ABRASEL-MG e Coordenador da Frente da Gastronomia Mineira

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo