Debate sobre a comida como identidade regional marca o início dos trabalhos da FGM em 2019

Seminário reuniu membros da Frente da Gastronomia Mineira e demais interessados no assunto e deu novo fôlego à discussão sobre a identidade da gastronomia mineira


A primeira ação aberta ao público da Frente da Gastronomia Mineira em 2019 consistiu em um Seminário temático na tarde do dia 4 de fevereiro no auditório JK da Prefeitura de Belo Horizonte. O evento reuniu grandes nomes, tanto da área acadêmica como do mercado, para debater a comida como linguagem da identidade regional, tema que vem gerado grandes discussões.


Foto: Nereu Jr.

O Prof. Dr. José Newton Coelho Meneses foi convidado para palestrar. Pesquisador da área, José Newton é professor do Departamento de História da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e estuda a História Cultural da Alimentação.  Sua fala enriquecedora sobre a comida como linguagem abordou questões como as relações entre gosto, identidades e tradições, considerando a comida como uma expressão cultural e um repositório de tradições alimentares que são construídas continuamente. Segundo o professor, “a gastronomia apresenta o si e dá a conhecer o outro”.


Logo após a contribuição de José Newton, foi a vez dos debatedores levantarem questões importantes para a reflexão. Vani Fonseca, Eduardo Avelar, Edson Puiati e Eduardo Tristão falaram, cada um a partir da sua área de atuação, sobre as suas percepções acerca do tema. Os momentos finais do Seminário foram marcado pelas perguntas dos presentes que foram respondidas pelo palestrante e debatedores. A discussão ganhou fôlego, demonstrando a importância em se abordar esse tema fundamental para uma melhor compreensão da gastronomia mineira.

6 visualizações