O poder da amizade

Coluna de Ricardo Rodrigues originalmente publicada no site do Jornal Hoje em Dia.

Neste último ano vários foram os assuntos aqui retratados, desde a famigerada crise econômica provocada pela Covid-19 a datas comemorativas importantes do cenário gastronômico mineiro. Hoje, porém, quero ressaltar um tema essencial nesta coluna, inédito por sinal, mas de suma relevância para a nossa sobrevivência em tempos tão caóticos: as relações que constituímos ao longo da vida, os nossos verdadeiros amigos.

Sabia que eles – os amigos - são o principal indicador de bem-estar na vida de alguém? Pesquisas científicas apontam que laços fortes de amizade aumentam nossa expectativa de vida em até 10 anos e previnem uma série de doenças. Essas mesmas pesquisas também revelam que pessoas com mais de 70 anos têm 22% mais chances de chegar aos 80 se mantiverem relações sólidas de amizade. Existe, inclusive, uma quantidade mínima de amigos para que você fique menos vulnerável a enfermidades, segundo pesquisadores da Universidade de Duke, nos Estados Unidos: quatro. Gente com menos de quatro amigos, conforme o estudo, tem risco dobrado de desenvolver problemas cardíacos. Isso acontece porque a ocitocina, hormônio que estimula as interações, age no corpo como um oposto da adrenalina. Enquanto a segunda aumenta o nível de estresse, a primeira reduz os batimentos cardíacos e a pressão sanguínea, o que diminui a probabilidade ataques do coração e derrames.

Dito tudo isso, deixo aqui a pergunta: Quantos de nós, nesta pandemia, já não recorremos aos queridos amigos em busca de um ombro acolhedor? Brincadeiras à parte, posso dizer que depois da vacina eles são o antídoto mais eficaz para vencermos esse vírus tão destruidor que enfrentamos. O mundo pode acabar, desmoronar, mas tudo parece ficar melhor e mais calmo quando nos aconchegamos no abraço afetuoso de uma pessoa especial.

O mais incrível é que esse abraço, esse acolhimento, é desprovido de interesses, trocas e retribuições. Quando o amigo é de verdade e age com verdade, nós sabemos que ele está sempre pronto para nos ouvir e ajudar sem nada pedir.

Seja em uma chamada de vídeo, já que os encontros, por ora, não são permitidos, na sempre animada mesa do bar, quando estes estavam abertos, ou em uma conversa despretensiosa por whatsApp, a amizade se materializa de forma corriqueira e bela.

Por isso, se você está se sentindo só ou as vezes acha que vai sucumbir, procure hoje mesmo (agora, se possível) aquele seu amigo sempre disposto a lhe amparar, aquela pessoa infalível em sua vida. Todos nós temos esse ser especial.

Como já bem disse o poeta Vinicius de Moraes, a gente não faz amigos. Apenas os reconhecemos. Tenho certeza que você sabe com quem pode contar para juntos atravessarem a turbulência que hoje vivemos. Juntos todos nós somos e seremos bem mais fortes.



Ricardo Rodrigues – Conselheiro Consultivo ABRASEL-MG e Coordenador da Frente da Gastronomia Mineira

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo