Pesquisa de mercado: a melhor estratégia para atuar em nichos específicos

Atualizado: Fev 11

*Conteúdo originalmente publicado no jornal Hoje Em Dia


A segmentação de produtos e serviços é a moda do momento em diversos setores da economia, inclusive na gastronomia. Muitos desses nichos parecem surgir devido à tendências do mercado, que está em constante mudança.


Quer alguns exemplos? No início da crise econômica mais recente, vivenciada pelo setor de bares e restaurantes, as espeterias proliferaram. Só em Belo Horizonte, foram cadastrados, nos últimos anos, mais de 500 estabelecimentos desse tipo. Acredito, inclusive, que essas casas cresceram justamente pelo fato de atenderem a necessidade do público de buscar preços atrativos em um cenário de recessão.


Outro case de sucesso nesse formato é o de restaurantes como a ‘Horta 31’ [primeiro fast-food de comida saudável em Minas Gerais] que, há pouco mais de dois anos, abriu sua primeira loja na Savassi, aproveitando-se da crescente busca de grande parte da população por uma alimentação mais saudável, e hoje já contabiliza quase 15 unidades na capital.


Esses ‘fenômenos’ que aparecem de época em época e se sobressaem são [sim] importantes para o mercado, pois como já disse no início deste texto, tratam-se de indicadores de tendências. Porém, são mais importantes ainda para o consumidor, que ganha diversidade de opções.


Contudo, o principal desafio para quem pretende se lançar em uma área específica de atuação, dentro deste vasto universo da alimentação fora do lar, é desenvolver um estudo prévio e analítico acerca do setor.


Nessa pesquisa vale a pena buscar respostas para as seguintes perguntas: o nicho no qual pretendo me inserir é autossustentável? Faz parte de um modismo muito exacerbado que logo passa ou já tem uma estruturação sólida que permite, inclusive, um estudo assertivo do produto que irei oferecer?


Lembre-se que uma pesquisa de mercado pode evitar ainda que você abra um negócio muito próximo de outra empresa que já atua no mesmo segmento. Mesmo assim, ainda que haja outra empresa do mesmo segmento, localizada próximo da sua, você pode ter diferenciais que a outra não tem.


O mínimo de know-how também é importante. Pois uma vez que você entra de forma repentina em uma empreitada, sem planejamento, corre o risco de sucumbir diante das primeiras intempéries.


Por fim, se mesmo depois de consolidado, você sentir a necessidade de surfar em outras ondas, não se condene. Essa prática de muitos empresários caminharem na mesma direção das tendências é normal no mercado. Não há uma regra do que é certo ou errado, desde que você [volto a dizer] analise criteriosamente o mercado no qual deseja atuar. Saber aonde colocará seus pés é fundamental para não prosseguir movido apenas pelo modismo.


Ricardo Rodrigues – Presidente ABRASEL-MG e Coordenador da Frente da Gastronomia Mineira

0 visualização