Sete anos

Coluna de Ricardo Rodrigues originalmente publicada no site do Jornal Hoje em Dia.


Neste mês, a Frente da Gastronomia Mineira (FGM) completa sete anos de existência. Desde a sua fundação, orquestrada pelo deputado Agostinho Patrus, esse grupo coletivo tornou-se um importante órgão para fomentar, consolidar e apoiar as ações voltadas ao desenvolvimento da gastronomia em nosso estado.

Ao longo desse período, enfrentamos várias situações e mudanças estruturais. Em 2018, por exemplo, quando Agostinho tomou a decisão de concorrer às eleições, para tentar o segundo mandato como deputado estadual, gentilmente me convidou a assumir seu lugar. Desde que me tornei coordenador da FGM, tenho percebido o quão importante é a união das pessoas que movimentam a cadeia produtiva da gastronomia em todo o território mineiro. Movidas pela paixão e pela vontade de ‘fazer acontecer’, elas, inegavelmente, ajudam a melhorar, cada dia mais, a cozinha de Minas e expandir nossos talentos para além das fronteiras nacionais.

Só neste último ano de pandemia, estivemos ainda mais conectados com à ABRASEL, por meio de seu presidente-executivo, Paulo Solmucci; à Belotur, comandada por Gilberto Castro; e com a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (SECULT-MG), representada pelo secretário Leônidas Oliveira. Todos extremamente engajados em ajudar a minimizar os impactos da crise sanitária sobre o segmento de alimentação fora do lar, que só em nosso estado contribuiu, desde março do ano passado, para o fechamento de 30 mil empresas do setor, o que culminou em 250 mil empregos perdidos.

É óbvio que este aniversário, no momento que atualmente vivemos, não traz muitos motivos para celebrações. Mas se analisarmos a trajetória da FGM como um todo, ou seja, desde 2014, quando foi criada, temos sim inúmeras razões para nos orgulharmos do que vem sendo plantado e colhido.

Comemoramos neste mês não só o aniversário de sete anos de um grupo voltado para fortalecer a gastronomia, mas, sobretudo, o entendimento coletivo de diversas instâncias e entidades de que ela [a gastronomia] é uma de nossas maiores riquezas. Incrementa o turismo, gera empregos, nos fortalece culturalmente e posiciona o estado de Minas Gerais como uma das grandes potências brasileiras mundo afora.

Por isso, nada mais justo que desejar parabéns e vida longa a todos que vêm construindo, peça a peça, o mosaico surpreendente da nossa cozinha, em um esforço conjunto. Este trabalho jamais seria feito com esmero se não houvesse o envolvimento de uma lista enorme de atores e empreendedores, que mais do que representarem o setor, amam o que fazem.

Para os supersticiosos, o número sete remete à sorte. Então, que tenhamos muita sorte nos próximos sete, 14, 21 anos e, sobretudo, muito trabalho. Juntos somos e continuaremos sendo mais fortes.



Ricardo Rodrigues – Conselheiro Consultivo ABRASEL-MG e Coordenador da Frente da Gastronomia Mineira

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo